Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Um dia de Compras no Rio - Instagram @howstore

Vocês já estão acostumadas a ir na How e ver tudo exposto e organizado por cores, tons, estampas e tudo passadinho e bonitinho, né? Mas muitas de vocês não sabem e nem imaginam como estas roupas foram parar lá nas araras.
Então a Carol resolveu contar para vocês como funciona um dia de compra de uma marca que todo mundo ama: a Farm.

Nós da How, preferimos ir pessoalmente até o Rio de Janeiro escolher a dedo quais peças, grades e quantidades que vamos levar ou não para vocês.
Saibam que ao fazer as compras, procuramos levar uma listinha de pedidos e encomendas de algumas clientes, mas o mais importante, é estar presente no dia-a-dia na loja e sentir o que vocês gostam e não gostam, quais são os seus desejos, quais são as tendências, levar em consideração a cultura da cidade, o clima e ter bom gosto! Mas o fundamental é pensar sempre em vocês, nossas clientes.

"O dia começa cedo, muuuuito cedo (às 4 horas da manhã), acordo e visto uma roupa confortável para aguentar o bate-volta (Londrina-Rio-Londrina) e a bateção de perna em solo carioca. 
Na maioria das vezes, o tempo de permanência no Rio é muito curto (em média de 4 a 5 horas) e nem sempre dá tempo de almoçar (nada que um Koni não resolva).

E chegando no Rio é sempre aquela alegria... a cidade é sim maravilhosa, as pessoas praticam esportes ao ar livre de segunda a segunda e em qualquer hora do dia, a moda de rua é bem diferente de Londrina (colorido, estampado, despojado) e toda essa beleza contagia. Mas nem dá tempo de curtir muito tudo isso... e chegando no showroom começa a minha função de compradora. 
Sempre fico na torcida para ser a única compradora daquele dia, porque se tem outra lojista de qualquer que seja a multimarca do Brasil, vira aquela briga e competição pelas últimas peças das araras e pelas peças mais bonitas. Tenho que ser ligeira e ficar de olho na minha sacola (sim, as outras lojistas "pegam" dos outros o que elas não conseguiram para elas). Mas no fim, dá tudo certo. Todo mundo fica feliz, mas sempre fico com dúvida se apostei muito numa peça X... se não deveria ter comprado mais da peça Y, e etc.

Assim que finalizo a compra, colocamos tudo dobradinho nas malas (na maioria das vezes eu levo a mercadoria comigo) e quando não dá tempo de dar uma passadinha em outro lugar, eu começo o meu caminho de volta pra casa. 
Nesta hora, estou tão cansada e exausta (as estampas, cores, roupas e escolhas cansam a mente e a vista, juro) que eu confesso para vocês que nem a praia de Copacabana com a sua beleza natural me chama a atenção. Normalmente eu deito a cabeça no banco do taxi e fecho os olhos pra relaxar.

Chegando no aeroporto é sempre aquele "trampo", junto todas as malas num carrinho que fica quase da minha altura e vou driblando as pessoas, faço o check-in, pago sempre excesso de bagagem, despacho tudo e aí vou sentar e esperar o vôo e comer um lanche.

Assim que chego em Londrina, dificilmente tenho ajuda de um homem para tirar as malas da esteira, coloco tudo no carro e no dia seguinte a maratona ainda não terminou. Vou bem cedo na loja para cadastrar tudo, passar e organizar para quando vocês chegarem lá, as roupas estarem prontinhas recheando as araras!" 

Confira aqui os clicks postados no Instagram na última viagem feita na semana passada:

Cidade Maravilhosa - Vista do avião

Forneria São Sebastião - Dica de Restaurante em Ipanema
Desta vez eu tive mais tempo de sentar e almoçar tranquila

T-shirt com caveira em couro

Mix de novas estampas - para vocês ficarem curiosas e desejando

Já no aeroporto - 70 kgs de bagagem
Pouca roupa né?

Na sala de espera do aeroporto
Vestido Bo.Bô na capa da Elle

Vitrine que durou pouco
As roupas já vão direto para as araras e manequins

Vestido Farm

Anéis Farm

Espero que tenham gostado!!

Beijos

Carol

Nenhum comentário:

Postar um comentário